quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Mais uma pequena paixão

Vocês se lembram do texto que escrevi sobre as pequenas paixões? Tomara que sim, porque o considero um dos meus textos mais realistas e ele vai ser muito significativo no texto de hoje! Vamos lá?


Acontece que eu não sei como aconteceu. Acontece que você se tornou uma pequena paixão. Talvez tenha sido lá no início, quando te conheci. Talvez tenha sido naquele dia que ficamos horas conversando numa fila! Talvez tenha sido há algumas semanas, quando sentamos juntos e rimos bastante. Talvez tenha sido naquele outro dia, em que não conversamos muito, mas notei seu comportamento. Quem sabe foi naquele dia em que eu estava mal e você olhou de soslaio pra mim, com dor. Ou talvez tenha sido nas vezes que você sorriu pra mim sem motivo.

Usei a palavra talvez pra supor vários momentos suspeitos, de perigo iminente. Mas eu sei exatamente onde tudo começou, só que não se faz necessário contar esse tipo de detalhe, não é?

Pois bem, o fato é que você se tornou aquela pessoa que eu gosto de ver todas as manhãs. Você é o responsável por me verem passando batom dentro do ônibus. É por sua causa que eu tenho dado longas passeadas no mundo da lua. Será que você ao menos tem noção da bagunça que está fazendo em minha vida? Tenho certeza que não. Mas não vou reclamar disso, porque sei que eu já dei uma boa bagunçada na sua vida também!

E não faço ideia de onde isso vai parar. Mas não estou tão preocupada com isso. Até mesmo porque um dos pressupostos das pequenas paixões é saber que elas não dão em nada! Pequenas paixões são anônimas, caso contrário, se tornam grandes paixões.

Portanto, meu querido, aproveite bem o seu posto de pequena paixão em minha vida. Porque eu ainda me contento em apenas te ver e falar com você. Eu ainda me sinto feliz quando você passa no corredor com aquela sua camisa listrada. Agora, se você não estiver satisfeito em apenas ver meu cabelo cacheado ou quiser ver meus olhos mais de perto, então pode me propor alguma coisa. Talvez, quem sabe, a gente possa negociar.

Um comentário:

  1. Que lindo, Glenda!
    Apesar de sempre te sentir meio pé atrás e ainda presa a razão, adoro ler seus textos mais leves, mais coração!
    Espero que vocês negociem e cheguem em um acordo bom para os dois =)

    Bjs
    www.miragemreal.com

    ResponderExcluir

Sua opinião será sempre bem vinda *--*