sábado, 2 de março de 2013

Uma Semana - Parte 3

Sabe aquela preguiça de domingo à tarde depois do almoço? Pois é, Aline estava daquele jeito, só que um pouco pior. Agora ela pensava em tudo o que tinha acontecido naquela festa.
Vamos por partes. Primeiro, ela sabia que a amizade deles não tinha acabado, mas não sabia dizer se tinha aumentado ou se tinha diminuído. Segundo, Aline nunca foi muito namoradeira – depois de umas decepções aqui e ali, ela resolveu que agora só ia se envolver com alguém que tivesse certeza que podia dar certo, adotou a frase “cansei de ilusões”. Terceiro, por mais que ela nunca tivesse percebido, eles até que podiam dar certo. Mesmo que Pedro não tivesse nada a ver com o perfil de ‘homem perfeito para Aline’, eles se davam muito bem: passavam horas juntos nas aulas de violão, rindo, zuando um com o outro, fazendo brincadeiras idiotas, e claro, os pais de Aline gostavam de Pedro, já há muitos anos eles iam na casa um do outro, e tal.

E enquanto Aline se via perdida nessa decisão, seu telefone tocou. Adivinha quem era? Ele mesmo, o Pedro. Conversaram por horas, e nada de tocar naquele assunto... – acho isso engraçado, muitas vezes queremos dizer uma coisa pra alguém, e esse alguém também quer dizer o mesmo pra gente, mas ninguém tem coragem de tocar no assunto. O medo da rejeição faz com que a gente perca a chance de criar uma nova história. Complicado, né?

[...]
- Pedro, eu preciso desligar...
- Espera! Antes eu queria te falar uma coisa.
- Tá bom, pode falar. – Aline sentiu um alívio tão grande quando disse essas palavras, ela não via à hora de tentar resolver o problema que eles tinham criado na festa.
- É sobre ontem – disse Pedro – eu queria saber o que você achou...
Segundos de silêncio...
- Eu achei legal... – disse Aline, pra tentar segurar a peteca.
- Pois é, Aline, eu queria saber se você pensou no que eu te falei ontem...
Longa respiração, ela respondeu:
- Eu pensei, quer dizer, eu tentei pensar, mas não consegui chegar a nada. É meio complicado isso, sabe...
- Entendo, pra falar a verdade eu também achei um pouco estranho, mas eu gostei...
- Sei... – Aline disse “sei”, mas quis dizer “não sei”-... Mas, e agora?
E agora? Pedro queria responder, mas não sabia como. Nunca nenhuma mulher tinha acabado assim com suas palavras.
- Agora vamos ver. Eu queria saber te responder, ou mesmo te mandar uma cantada bem ruim, mas eu não sei, você tirou minhas palavras. – disse ele.
Aline sorriu, e respondeu: - tudo bem, eu também me senti assim... Boa noite.
E antes que aquela conversa perdesse as rédeas, Aline resolveu colocar um ponto final.
- Boa noite... – respondeu Pedro, querendo dizer mais, mas desligaram o telefone.

2 comentários:

  1. E que eles sempre possam recomeçar, e que na vida real seja assim também.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita, Luzia! Continue acompanhando os próximos capítulos =]

      Excluir

Sua opinião será sempre bem vinda *--*